Fale Conosco

Política

Quatro vereadores já são contrários ao aumento do IPTU

Maioria ainda prefere não opinar; reação popular pode influenciar decisão

Publicado

em

Se o projeto de lei prevendo alterações na cobrança do IPTU fosse votado hoje, qual seria a posição dos vereadores de Campo Mourão? O i44 News visitou o gabinete de cada um dos 13 parlamentares para saber o que pensam sobre o assunto, já que eles têm o poder para aprovar ou não e até modificar a proposta. Alguns já têm posição definida, outros dizem que ainda estão estudando, mas tem também vereador que diz desconhecer o projeto e outros que preferiram não se manifestar. Confira.

Cabo Cruz (PSL) informou por meio de sua assessoria que é contra qualquer projeto que apresente aumento abusivo, acima da inflação.

Dr Miguel (PRB) não foi localizado na Câmara, mas sua assessoria informou que ele ainda não tem posicionamento definido sobre o assunto, pois o vereador busca esclarecimento de especialistas e fez uma súmula que pode resultar em requerimento que se, aprovado pelos vereadores, convocaria uma audiência pública para discutir o tema com a população.

Edilson Martins (PR) preferiu não gravar entrevista. Disse que ainda está analisando o projeto e conversando com outros vereadores para definir seu voto.

Edoel Rocha (PDT) estava na Câmara, mas informou por meio de sua assessoria que tinha outros compromissos e não poderia atender a reportagem. Sua assessoria também afirmou que o vereador ainda desconhece o projeto.

Edson Battilani (PPS), por meio de sua assessoria, não respondeu o pedido da reportagem nem informou qual sua posição em relação ao projeto.

Elvira Schen Lima (PPS) disse que vota favorável ao projeto por concordar com as explicações apresentadas pelo secretário da Fazenda e Administração, para corrigir valores defasados e a necessidade do município aumentar a arrecadação.

Jadir Soares – Pepita (PPS) disse que está estudando o projeto, mas que também vota favorável por entender que é necessário fazer ajustes na cobrança do imposto e por ser da base de apoio do prefeito.

Luiz Alfredo (PT do B) enviou a seguinte mensagem: “Sou favorável ao equilíbrio orçamentário sem que se busque receita sem a devida equalização de despesas. Não voto como está posto. Tem de explicar. Eles necessitam de sete votos para aprovar a matéria, mas não têm o meu”.

Nelita Piacentini (PR), segundo a assessoria, está viajando para tratar de assuntos familiares e, por esse motivo, ainda não conseguiu analisar o projeto.

Olivino Custódio (PSC) afirmou que no momento sua posição é contrária ao projeto, que continua analisando as informações e deve seguir a orientação do bloco partidário.

Professor Cícero (PT) declarou posicionamento contrário ao projeto por entender que a proposta apresenta aumentos “exorbitantes” e que prejudicam os trabalhadores.

Sidnei Jardim (PPS) não foi localizado e sua assessoria não soube informar qual sua posição em relação ao projeto.

O vereador Tucano (PR), por meio de sua assessoria, disse que não vai se manifestar sobre o assunto.

Comente

Comentários