Fale Conosco

Política

O povo fala; os vereadores escutam?

Projetos que propõem reajustes no IPTU foi aprovado hoje (14) em primeira sessão

Publicado

em

Após a aprovação em primeira sessão dos quatro projetos referentes ao reajustes no IPTU, ocorrida hoje às 14h na Câmara Municipal de Campo Mourão – horário que impossibilitou a participação de grande parte da população – a equipe do i44 News percorreu bairros da cidade para consultar a opinião dos moradores e constatou que, do Lar Paraná ao Jardim Aeroporto, o sentimento é um só: indignação com os vereadores que votaram a favor do reajuste.

Com a discussão dos projetos em audiência pública rejeitada pela maioria, grande parte dos habitantes não foi esclarecida sobre os projetos, de acordo com moradores ouvidos pela reportagem.

“Uma pouca vergonha”, assim define a confeiteira Deneci Correia, moradora do Lar Paraná, sobre os projetos que propõem o reajuste. Para ela, o reajuste é abusivo e os vereadores que votaram a favor deveriam por a mão na consciência para a segunda sessão da votação, que acontece amanhã às 14h, “Na hora de bater de porta em porta, pedir o voto do cidadão mourãoense eles são os bonzinhos, eles vão fazer tudo de bom pra cada um, e quando eles chegam fazem tudo ao contrário”.

Para Aparecido Alves, que mora e tem comércio no bairro Cidade Nova, o reajuste é um absurdo, “tem muitas coisas mais pra eles fazerem do que aumentar o IPTU”, reclama. Ao ser informado dos nomes dos sete vereadores que disseram sim ao reajuste, Alves identificou que o vereador que teve o seu voto na última eleição contava na lista e fez um apelo: “Tucano, pelo amor de Deus, eu votei em você e você tá votando contra nós agora?”.

A eleitora Silvéria Montuan Ferro, moradora da região central de Campo Mourão, diz que os dois vereadores em quem votou na última eleição não contarão novamente com os seus votos. “A gente espera que eles lutem pelos nossos direitos, e isso não está acontecendo”, explica. Ela classifica o aumento como injustificável frente a crise pela qual o país passa, “A população já vive uma situação difícil, salários baixos, então com esse aumento vai prejudicar muito”.

“Primeiramente eles tem que arrumar o que foi prometido”, disse Ademar Tochinsk, morador e comerciante há 10 anos no bairro Aeroporto. Ele já estava descontente com o vereador que recebeu seu voto na última eleição que, segundo ele, nunca mais apareceu em sua rua para resolver os problemas prometidos em campanha. Ao descobrir que o mesmo vereador também esta na lista dos que aprovam o reajuste, se mostrou indignado, “na hora de pedir o voto conseguem achar o endereço da gente, depois nunca mais consegue achar”, fala em tom de desabafo.

Primeira votação

Com seis favoráveis e seis contrários, o presidente da Câmara desempatou dizendo sim. A situação se repetiu na votação dos quatro projetos.

Votaram favorável aos projetos os vereadores Edilson Martins (PR), Edoel Rocha (PDT), Edson Battilani (PPS), Elvira Schen (PPS), Jadir Pepita (PPS), Sidnei Jardim (PPS) e Sidney Tucano (PR).

Já os vereadores Cícero de Souza (PT), Cabo Cruz (PSL), Luiz Alfredo (PTdoB), Miguel Pereira (PRB), Nelita Piacentini (PR) e Olivino Custódio (PSC) foram contrários.

 

 

 

 

 

 

Comente

Comentários