Fale Conosco

Arte e Cultura

Embaixador de grupo de Folia de Reis acusa prefeitura de boicote

Fundacam nega e diz que não participação ocorreu por falta de interesse da companhia

Publicado

em

Quem esteve presente na noite do último sábado (6) na Praça São José, no centro de Campo Mourão, para assistir as apresentações da Folia de Reis pode prestigiar apenas duas das três bandeiras registradas na Casa da Cultura da cidade. Enquanto as companhias Sempre Viva dos Anjos e Bandeira da Paz se apresentavam, Mario Repula, embaixador da bandeira A Caminho de Belém, gravava um vídeo no qual, indignado, alegava que sua companhia foi deixada de fora do evento que fez parte do encerramento do projeto Campo Mourão Cidade Natal. Repula, que foi ligado e apoiou a gestão Regina Dubay, acredita que a exclusão foi motivada por divergências políticas. 

“Tô indignado com isso, há 17 anos nós apresentava na praça e hoje eles fizeram isso com nós” (sic), disse Repula no vídeo que já conta com mais de 2,5 mil visualizações em seu perfil pessoal no facebook. Segundo ele, a justificativa apresentada pela Fundação Cultural de Campo Mourão (Fundacam) em um programa de rádio local foi a de que ele estaria morando em Santa Catarina e que por isso sua bandeira não poderia participar.

No domingo (7), o i44 News foi até a festa promovida anualmente para mais de três mil pessoas pela bandeira na Vila Rural   – e que não contou com a presença de nenhum representante do poder municipal – para conversar com Repula. Ele explicou que atualmente mora em Florianópolis para prestar serviços pela empresa que possui, mas que todos os outros 17 membros da companhia residem em Campo Mourão. Porém, ele afirma que isso não seria motivo para a não participação de sua companhia, pois os embaixadores das outras bandeiras, segundo ele, também moram fora da cidade.

Na ocasião da festa, ele diz ter ficado sabendo por terceiros de outra justificativa para a exclusão. Segundo as informações que recebeu, o fato aconteceu porque a Fundacam não teria conseguido entrar em contato com ele. “Meu telefone é daqui, meu telefone tá lá na documentação, até a minha esposa mandou feliz natal e feliz ano novo para a pessoa que é coordenadora da cultura, então como que não conseguiram entrar em contato comigo?”, questionou.

Neste ano, as apresentações foram viabilizadas com recursos de incentivos fiscais captados através da Lei Rouanet e cada companhia recebeu R$ 500,00.  Nos anos anteriores, o município repassava um valor de ajuda de custo para as companhias se apresentarem dentro da programação oficial de natal.

O que diz a Fundacam

Para Margarete de Souza, servidora da Fundacam que participa da organização das apresentações das bandeiras, a não participação da A Caminho de Belém na noite de sábado aconteceu porque a Fundacam não tinha conhecimento que Repula estava na cidade. “Só Fiquei sabendo que ele estava aqui no dia seis”, disse em entrevista por telefone.

Segundo ela, no ano passado Repula teria informado a mudança para Santa Catarina e disse que entraria em contato quando retornasse. De acordo com Souza, desde então, nem Repula e nem outro membro da companhia teria procurado a Fundacam para manifestar interesse na participação da apresentação na praça. “Ele sabe como funciona, há 17 anos ele se apresenta, ele sabe que tem prazos para cumprir e ninguém nos procurou”, argumenta.

“O que nos deixa chateados é dizerem que isso ocorreu por motivos de política, isso desconsidera um trabalho sério desenvolvido há 29 anos pela Cultura”, disse Margarete. Ressaltando a importância em manter viva a tradição da Folia de Reis, ela acredita que o ocorrido não prejudicou a bandeira, que fez sua campanha e sua festa normalmente como todos os anos. Também afirmou que não há nada que impeça a participação da companhia para o ano que vem, desde que ela se manifeste conforme o prazo de planejamento, que geralmente se dá até 25 de outubro.

Folia de Reis

A tradição da Folia de Reis tem origens portuguesas e faz parte da formação da identidade cultural brasileira, ainda mantida em muitas regiões do país, especialmente em Minas Gerais. Na tradição católica, a passagem bíblica em que Jesus foi visitado por reis magos converteu-se na tradicional visitação feita pelos três “ Reis Magos”: Melchior, Baltasar e Gaspar. Os três reis passaram a ser referenciados como santos a partir do século VIII.

As companhias visitam as famílias, onde chegam entoando canções típicas, no ritmo da congada. A família que recebe a Bandeira geralmente oferece doações para a festa em homenagem aos Santos Reis.

Na Vila Rural de Campo Mourão, onde acontece a festa da companhia A Caminho de Belém, se encontra a primeira – e até então única – capela do estado do Paraná dedicada aos Santos Reis. Autorizada pelo então Bispo Dom Javier, ela foi construída em 2016 somente com doações angariadas por Repula e a companhia.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).