Fale Conosco

Polícia

Polícia usa tecnologia para localizar acusados pela morte de Nelson Bassi

Investigados por imagens de 15 câmeras de segurança jovens foram presos em casa e confessaram o crime

Publicado

em

O delegado da 16ª Subdivisão Policial (SDP), Nagib Nassif Palma, apresentou na tarde desta sexta (26) dois acusados pela morte do comerciante Nelson Bassi. O autor do disparo é um jovem de 24 anos morador do bairro Cidade Nova e o outro, com 21 anos, morador da região central e piloto da moto utilizada no crime. Os nomes não foram revelados pela polícia. A resolução do caso acontece após quatro dias da tentativa de assalto ao mercado de Bassi, que durante a ação foi alvejado na região do abdômen e acabou falecendo na manhã da última terça (23).

Segundo o delegado, a polícia realizou diversas buscas durante a semana para chegar até os autores do crime. Nassif explica que a maior dificuldade para a identificação dos sujeitos foi a falta de testemunhas. A informação era de que o autor do disparo teria fugido a pé do local, porém, câmeras de segurança mostram o piloto da moto aguardando o outro jovem em uma rua próxima ao local.

Foram através destas e de outras imagens de um total de 15 câmeras de segurança que a polícia conseguiu mapear o trajeto feito pelos criminosos, além de terem contado com a ajuda de várias denúncias anônimas. De acordo com o delegado, os dois foram presos em casa na manhã de hoje (26) – um no centro e outro no bairro Cidade Nova – e confessaram o crime. Na ocasião, foi apreendida também a moto utilizada pelos jovens, que teve a cor de suas rodas modificadas por tinta spray.

O crime

Conforme Nassif, o jovem mais novo, motorista da moto, afirmou não saber que a tentativa de assalto culminaria em morte. Ele não tem passagem pela polícia. Já o autor da morte de Bassi tem passagem por receptação de produtos furtados e disse que efetuou o disparo porque o comerciante haveria esboçado reação. “Isso bate, de certa forma, devido a velocidade que foi a entrada e saída, foi muito rápido, nós conseguimos verificar nas câmeras periféricas que foi menos de um minuto essa situação”, diz Nassif.

O crime é enquadrado como latrocínio – roubo seguido de morte – e tem, conforme explica, uma das maiores penas do código penal brasileiro, de 20 a 30 de prisão. “Que isso sirva de exemplo para os demais”, falou o delegado, acrescentando que assim como esse caso, todos os que por ventura acontecerem serão investigados até que a polícia chegue a resolução. Segundo Nassif, a polícia ainda trabalha par localizar a arma utilizada no crime.

 

 

Comente

Comentários