Fale Conosco

Polícia

Assassinas confessas, meninas colocaram fogo na cadeia e foram para o Cense

Crime aconteceu na última sexta (26), após adolescentes pegarem carona com a vítima

Publicado

em

As duas meninas, uma de 13 anos e outra de 15 anos, detidas no último sábado (27) pelo assassinato de Osvaldo Ribeiro, 42, na região do Lar Paraná devem responder pelo crime de latrocínio, ou seja, roubo seguido de morte. De acordo com o delegado da 16ª Subdivisão Policial (SDP), Nagib Nassif Palma, após o esfaqueamento a vítima, as adolescentes subtraíram cerca de R$ 500 da carteira de Ribeiro. Em seus depoimentos, as acusadas assumem o crime e alegam que tentavam se defender de uma tentativa de abuso sexual.O delegado conta que durante o período que aguardavam o encaminhamento ao Centros de Socioeducação (Cense) em cela separada dos demais, as adolescentes tumultuaram a delegacia chegando a por fogo nos colchões.

Segundo delegado, há informações e registros de boletins de ocorrência indicando que as acusadas costumam praticar o crime de extorsão durante caronas.

O crime aconteceu na última sexta-feira (27) a noite, quando ambas aceitaram uma carona de Ribeiro. Segundo Nassif, a menina de 15 anos, que assumiu a autoria do esfaqueamento, relatou que Ribeiro havia passado a mão em sua perna, ato que teria sido repreendido por ela. A vítima então teria pedido para que ambas descessem do carro ao qual elas se recusaram pedindo a carteira de Ribeiro.

Conforme o depoimento das acusadas, Ribeiro se negou a entregar a carteira e conduziu as adolescentes para o batalhão da Polícia Militar quando levou o primeiro golpe. Após verificar que a vítima estava desacordada, elas furtaram o dinheiro encontrado na carteira de Ribeiro e deixaram o veículo. A vítima chegou a ser socorrida, mas devido a gravidade dos ferimentos faleceu no hospital.

Através de denúncias anônimas e investigações, a polícia militar e a polícia civil chegaram até o endereço das acusadas 12 horas após o crime. De acordo com Nassif, a mesma faca utilizada para o crime estava sendo portada pela adolescente no momento em que ela foi detida no sábado. A frieza do depoimento das adolescentes alarmou até os policiais: Enquanto descreviam o crime, ambas davam risadas.

A morte foi a segundo homicídio registrado em Campo Mourão neste ano, ambos enquadrados dentro do crime de latrocínio.

 

Comente

Comentários