Fale Conosco

Cotidiano

Servidores querem 7% de aumento, plano de saúde e não descartam greve

Sindicato diz que categoria está insatisfeita e espera resposta positiva do prefeito

Publicado

em

Em assembleia realizada no início de fevereiro, os servidores públicos municipais de Campo Mourão definiram 25 reivindicações para a campanha salarial deste ano, desde o índice de 7% para reajuste do salários, até plano de saúde. Segundo o presidente do Sindiscam, sindicato que representa os trabalhadores, Dione Clei Valério, a categoria está insatisfeita com o tratamento que tem recebido e não descarta a realização de greve geral.

A primeira reunião de negociação com a prefeitura está marcada para a próxima quinta-feira (22). “A maioria da pauta já é conhecida por eles. Se tinha que fazer cálculo, impacto financeiro, já tinha que estar pronto, pouca coisa diferenciou”, disse Valério, explicando que independente do resultado da reunião de negociação, a categoria está convocada para uma nova assembleia no sábado (24).

“Eu tenho ouvido bastante, recebido ligações e mensagens. A classe quer respeito, quer propostas. Se isso não acontecer, a assembleia é soberana. Eles decidirão no sábado os rumos que o Sindicato tem que tomar perante a administração”, esclareceu Valério. Segundo ele, caso a resposta do prefeito não agrade a categoria, os trabalhadores têm manifestado disposição para fazer paralisações e até greve geral.

Reivindicações

O presidente do Sindiscam disse que o percentual de reajuste em 7% foi definido com base na inflação do período somada com 4% de ganho real. Valério afirmou que atualmente o auxílio alimentação não é concedido para todos os servidores. A reivindicação é para que o benefício seja estendido a todos, dentro dos próximos anos, incluindo 440 novos funcionários a cada 12 meses.

Um plano de saúde médico e odontológico é outro avanço esperado pelos trabalhadores da prefeitura de Campo Mourão. A categoria cita como referência o convênio entre a prefeitura de Maringá e hospitais da cidade que oferecem atendimentos de saúde aos servidores públicos.

Os trabalhadores também estão de olho na contratação de pessoas sem concurso público para funções de confiança do prefeito. A reivindicação é de que não se aumente a quantidade desses cargos. Valério afirma que cerca de 20 novos comissionados foram contratados recentemente, aumentando gastos e retirando dinheiro que poderia ser aplicado para atender demandas dos servidores públicos concursados.

A pauta ainda traz o pedido de melhorias das condições de trabalho, e reivindicações específicas de alguns grupos ou cargos, como o reenquadramento dos escriturários, correção de distorção salarial entre celetista se estatutários e reformulação do plano de carreira do magistério. A lista com todas as reivindicações está disponível no site do Sindiscam.

Comente

Comentários

Copyright ®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).