Fale Conosco

Arte e Cultura

“Fim de uma era”, última videolocadora fecha as portas em Campo Mourão

Estoque de 10 mil itens está sendo “queimado” a partir de R$ 5; donos culpam internet e globalização

Publicado

em

A batalha da videolocadora Studio 2000 com as novas tecnologias chegou ao fim. Menos de um mês após um dos sócios-proprietários da Studio 2000, Gilmar Bandeira, afirmar ao i44 News que a empresa estava conseguindo resistir à crise, a videolocadora anunciou que vai fechar as portas no dia 7 de maio.

De acordo com as outras duas sócias, Juliana Guadalupe e sua mãe, Lígia Soares, a decisão foi tomada ao observar o movimento despencar 70% no início de 2017. Até maio, todo o estoque de 10 mil itens, entre DVD’s, filmes em 3D, blue-ray e jogos de videogame, está à venda a partir de R$ 5.

Lamentando a “concorrência desleal”, os sócios-proprietários culpam a internet e a globalização. “Vínhamos sofrendo há anos com os DVD’s piratas, o compartilhamento de vídeos na internet e a SKY TV. O Netflix, no início deste ano, deu a última punhalada ao produzir conteúdo exclusivo”, diz Juliana, diante de uma videolocadora vazia, estranhamente silenciosa .

“Sexta-feira era um dos dias que mais havia movimento”, lembra, mencionando a fila que clientes faziam para alugar temporadas de séries, como “The Walking Dead” e “Lost”, hoje todas disponibilizadas, gratuitamente, na internet.

Campo Mourão, segundo Juliana, já chegou a ter oito grandes locadoras. Só a Studio 2000 conseguiu resistir. Ícone do cenário cultural mourãoense, a videolocadora virou ponto de encontro e local onde passaram gerações de clientes. “É o fim de uma era na cidade”, diz.

Paixão virou trabalho

A Studio 2000 abriu as portas no dia 1º de março de 1986, na esquina entre as ruas Francisco Albuquerque e Manoel Mendes, oferecendo aluguel de videotapes.

Quando começou a frequentar a videolocadora, Juliana tinha apenas 10 anos e já se imaginava, um dia, atrás do balcão. Apaixonada por cinema, trabalhou na videolocadora quando já estava localizada na rua Mato Grosso, atual endereço.Há 7 anos, em sociedade com sua mãe e outro ex-funcionário da videolocadora resolveu assumir a nova direção.

Diferenciais à vista

Tocada pelo trio, a videolocadora passou a investir numa série de exclusividades. Os DVD’s eram alugados nas capas originais, com um lacre que nenhuma outra videolocadora da cidade chegou a oferecer. “A experiência é outra ao pegar a embalagem, ler as informações técnicas e ver a imagem da capa do filme.”

Quem não pudesse passar na loja poderia encomendar os títulos por telefone – com entrega grátis para os moradores da região central. Promoções também chamavam a atenção dos cinéfilos. “A locação de sete filmes por R$ 10 era nosso carro-chefe.”

Além, é claro, do atendimento personalizado que os proprietários-cinéfilos garantiam à clientela, indicando o que determinada pessoa tinham mais possibilidades de gostar, feito um “sommelier de filmes”.

Terapia na tela

“Tinha sexta que eu nem precisava fazer a seleção e deixava que a Juliana escolhia tudo para mim”, diz a professora de inglês Rosemarie Tubiana, de 61 anos. Maior cliente da videolocadora, Rosemarie alugou exatamente 3.842 filmes, desde 2011,de acordo com o sistema da empresa. Locava sete DVD’s, quase todos de ação e aventura, a cada final de semana.

Se tivesse feriado à vista, Rosemarie saía da videolocadora com duas dezenas de DVD’s. Cada visita poderia durar até uma hora. “Era minha terapia. Agora, vou ter que me contentar com a TV e os filmes que assisto, sem baixar, na internet”, diz.

Planos engavetados

Consciente da diminuição da clientela, há cinco anos os proprietários cogitaram abrir um café no mezanino, explorando melhor o espaço da sala comercial, de aproximadamente 200 m². Com o projeto em mãos, desistiram da ideia ao observar os gastos necessários para a reforma da cozinha e a construção de uma rampa de acesso.

Novos rumos

Com o fim da videolocadora, Juliana vai investir na mini-indústria de tomate seco que abriu no início do ano – já prevendo a crise. A mãe dela, Ligia, até o momento não tem planos à vista. A reportagem não conseguiu fazer contato com Gilmar Bandeira.

Feirão da Studio 2000
(Somente até dia 7 de maio de 2018)
Onde: Rua Mato Grosso, 2139 – Jardim Gutierres
Quando: segunda a sexta: 13h às 21h. Sábado: 11h às 21h.

 

Comente

Comentários

Copyright ®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).