Fale Conosco

Polícia

“Aqui, o povo gosta de se matar, historicamente”, diz delegado que freou o número de homicídios na cidade

No estilo “durão”, Nagib deixa Campo Mourão e assume a chefia da 15ª Subdivisão Policial de Cascavel

Publicado

em

Nagib Nassif Palma não é um delegado do estilo burocrático, desses que vestem ternos e preferem o conforto do escritório às ações da polícia. Ele é o típico delegado operacional. Aquele que gosta de estar nas ruas e sempre pronto a encarar os marginais, demonstrando o poder da Polícia.

Desde setembro de 2015 coordenando 16ª Subdivisão Policial (SDP) , o delegado revelou aos mourãoenses o gosto pelas ruas e pelas ações provocadas pelas investigações. Era comum observá-lo lado a lado, entre agentes e investigadores, durante os desdobramentos das operações. “Sou chão de fábrica”, define-se, rindo, em entrevista ao i44 News.

Agora o delegado “durão” está de malas prontas. Nesta semana, Nagib  assume a chefia  15ª Subdivisão Policial de Cascavel – o nome do novo delegado de Campo Mourão ainda não foi anunciado oficialmente. Em quase três anos de atuação na cidade, Nagib realizou uma série de alterações internas e externas na Polícia Civil.

Sua passagem pela cidade coincidiu com a drástica queda no número de homicídios, principalmente ligados ao crime organizado. Já não é “comum” , como ocorria há alguns anos .  o registro de mortes por encomenda – muitas vezes ocorridas na área central da cidade.

Atuando em sintonia fina com a equipe de policiais-  que conquistou ao participar do trabalho em equipe- o delegado Nagib diz que seu trabalho na cidade é fruto da integração com a “tiragem” – jargão utilizado no meio policial para se referir aos policiais civis – e a troca de informações coma Polícia Militar.

Remodelei algumas questões. Peguei uma agência de inteligência, que atuava em uma casa, com cinco agentes e um cachorro, e trouxe essa agência para cá. E potencializei outras investigações, como o tráfico, o furto e o roubo. E me aproximei bastante da Polícia Militar, começamos a trocar informações: houve maior integração de informações”, diz.

Quando veio a Campo Mourão, Nagib diz que conhecia os problemas da cidade. “Houve época, no passado, em que a cidade chegou a ter 50 assassinatos. Aqui, o povo gosta de se matar, historicamente.” Ao assumir  a chefia da 16ª SDP, Campo Mourão contava com 28 assassinatos – muitos deles, resultado de ações do crime organizado.

Queda do crime

O delegado faz uma avaliação positiva sobre a forma como conduziu a Polícia Civil. “Houve uma baixa considerável do número de crimes graves”, diz.

Em 2017, tivemos o número mais baixo há 17 anos: foram 16 mortes. Em 2018, já temos 8 assassinatos, mas apenas três desses crimes violentos foram de autoria do crime organizado. Os outros cinco são crimes de briga, irmão se desentendendo com irmão, vizinho brigando com vizinho.”

Sentado à escrivaninha, de camiseta polo, calça jeans e sapatos pretos, Nagib faz questão de agradecer à equipe da Civil e aos moradores de Campo Mourão. “É uma cidade que adoro. Obrigado por me receberem tão bem“, diz, em tom de despedida.

Ao final da entrevista,  “durão” como sempre,  Nagib tenta se afastar do clima de emoção de suas palavras e com a voz embargada convida reportagem para o último cafezinho em sua sala.

 

 

 

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).