Fale Conosco

Polícia

Acusado de ataques contra mulheres é internado em hospital psiquiátrico

Internação ocorreu após publicação no i44 News alertando sobre sobre riscos de novas vítimas e de integridade à vida do acusado

Publicado

em

 

Logo após publicação de reportagem no i44 News informando a existência de um estado de pânico, disseminado pelas redes sociais e aplicativos de mensagens, provocado pela presença nas ruas de Campo Mourão de um homem que teria cometido ataques contra mulheres na cidade, o acusado foi internado em uma hospital psiquiátrico público em Jandaia do Sul na manhã de sexta-feira (31).

De acordo com informações da secretaria de Saúde de Araruna, integrantes do Ministério Público em Campo Mourão entraram em contato com aquele órgão para obter maiores informações sobre o acusado. Na quinta-feira, a reportagem do i44 News entrou em contato com representantes do Ministério Público . A informação é que estariam sendo colhidas informações sobre o caso e oficialmente, não havia havia registros contra os supostos ataques, no órgão.

Com dezenas de boletins de ocorrência registrados contra ele e algumas passagens pela cadeia pública local, o morador de rua também tem histórico de atendimento médico na cidade vizinha, de onde é originário. Ele seria portador de distúrbios mentais.

Familiares do homem foram acionados pela prefeitura de Araruna e acompanharam a tentativa de internação. Após uma conversa, o homem foi convencido a se internar para tratamento e imediatamente foi levado para clínica.

Além da hipótese de novos ataques, o morador de rua também estava com a integridade física sob risco. Os relatos de ataques nas redes sociais e grupos de mensagens, geraram várias manifestações de revolta contra ele e alguns prometiam agir “fazendo a própria justiça”.

A reação ocorreu porque o homem, apesar de dezenas de registros e prisões por tentativa de homicídio e estupro, não estaria preso.

Representantes da Polícia Militar e da Polícia Civil explicaram que não havia qualquer mandado de prisão contra ele e as acusações registradas eram consideradas de menor relevância. Quanto aos crimes de tentativa de homicídio e estupro, onde ele consta como acusado, os inquéritos ainda estão tramitando e investigações estão em andamento.

Sem o registro de ocorrências – muitas mulheres que afirmam ter sido vítimas de ataque se recusaram a registrar oficialmente o boletim de ocorrência – a polícia não poderia prendê-lo, apenas por acusações postadas em redes sociais.

 

 

 

Comente

Comentários