Fale Conosco

Comportamento

Com a navalha afiada, Louizi quebra tabu no reduto dos homens

Por enquanto, ela é a única barbeira em Campo Mourão e já conquistou clientela cativa

Publicado

em

No ambiente predominante masculino, o batom vermelho nos lábios e a navalha afiada nas mãos ganham destaque e olhares desconfiados. Mas, a presença dela ali revela mais uma quebra de barreira no mercado de trabalho.

Em Campo Mourão, ainda é única. Nas grandes metrópoles brasileiras, no entanto, basta “dar um google” no termo “barbeira” para ver que elas já adentraram o reduto dos homens com navalhas, tesouras e toalhas quentes. E, eles estão gostando!

Em meio a mesas de sinuca, videogames e “conversa de homem”, Louizi Fernanda Mai é barbeira. O título não tem nada a ver com a forma pejorativa como motoristas do sexo feminino são designadas, por alguns, no trânsito. É a sua profissão.

Há quatro meses, ela maneja com gestos delicados a navalha em uma barbearia localizada nas esquinas da rua São Paulo e avenida Afonso Botelho, na área central da cidade. No currículo, uma gama variada de cursos de especialização na feitura de barbas. Entrou na profissão quase por acaso.

Receio

A barbeira já atuava no setor há três anos. Anteriormente, era especializada em técnicas de alisamento, escovas progressivas e tratamento para cabelos femininos.

Foi frequentando feiras, workshops e treinamentos ao lado do marido Welligton Fonseca – que também é barbeiro e trabalha no mesmo local – que ela se interessou pela profissão.

Mesmo já empunhando a navalha há algum tempo, foi somente em junho deste ano que decidiu encarar o ambiente da barbearia. Tinha receio da aceitação dos clientes, justamente por ser mulher.

E, parcialmente, tinha razão. O início do trabalho causou estranheza aos homens que que frequentam a barbearia. Um deles, se recusou a ser atendido por ela e foi embora. Quem perdeu foi ele.

Louzi é expert na arte. Utiliza as várias alturas da máquina e finaliza com a navalha em gestos delicados, na barba e cabelo. 

Arte e Estilo

A profissional considera o corte de barba uma arte e um estilo de vida que compartilha com o marido. Os dois estão em constante reciclagem em cursos pelo país afora, sempre em busca do aperfeiçoamento e conhecimento de novas técnicas.

Na barbearia onde trabalha, já conquistou clientes exclusivos e muitos querem a opinião dela para o corte. A resistência já não existe mais.

O mais novo cliente é o design de móveis Alexandro Andrade. Ele marcou por telefone o atendimento. Não entendeu bem quando foi informado quem seria responsável pelo corte. Chegou na barbearia acreditando que seria atendido por “Aloísio”.

Foi só quando sentou na cadeira que descobriu Louzi, a barbeira. Pensou consigo mesmo: “meu Deus!”.

Mas, antenado e disposto a quebrar tabus ele resolveu encarar a experiência. No final do corte, ficou impressionado e rasgou elogios a profissional.

“Ficou top (termo informal que significa incrível, maravilhoso). Acho que é um dos cortes mais bonitos que eu já fiz até agora, foi com ela”.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).