Fale Conosco

Comportamento

Um amor e um Fusca 1974 para realizar o sonho da festa de casamento

Casal de Campo Mourão está rifando o veículo para poder pagar o evento

Publicado

em

Um Fusca verde ano 1974 estacionado na garagem de uma casa na Rua Guarapuava, no centro de Campo Mourão, carrega a história de um casal apaixonado que decidiu rifar o veículo para realizar o sonho de fazer uma festa de casamento. O carro também tem alimentado a esperança de apreciadores de carros antigos com a possibilidade de conseguir um por R$ 10.

O psicólogo André Huben Rodrigues, 32 anos, e a dentista Kérolen Moura, 24, esperam arrecadar R$ 25 mil com a venda de 2.500 números para sorteio, no dia 20 deste mês, do Fusca original versão 1.500, com motor de 52 cv.

Neste ano, a Volkswagen comemora os 60 anos do início da fabricação do “besouro” no Brasil. O modelo que começou a ser montado na fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo, atrai apaixonados país afora. E Campo Mourão possui ligação forte com o veículo. A cidade tem O Dia Municipal do Fusca, comemorado em 29 de abril, e o Clube do Fusca, criado em 2006.

André conta que o Fusca fez parte do começo de namoro com Kérolen. Ele comprou o veículo por R$ 15 mil há 3 anos do tio que mora em Atibaia (SP) e convidou a namorada para ir buscá-lo.

A viagem de volta com o Fusca recém-adquirido durou cerca de 15h porque a bobina de ignição esquentou, o carro parou na estrada, teve que ser guinchado até uma oficina e voltou a funcionar quando a peça esfriou. “O Fusca foi um divisor no nosso relacionamento porque tivemos bastante tempo para nos conhecermos na viagem”, disse Kérolen. “No Fusca original, sem som, tivemos muito diálogo e risadas”, diz André.

A ideia de rifar o carro, diz André, veio depois de seguidas tentativas de vendê-lo para pagar a festa de casamento para unir amigos e parentes. “Só tive propostas de troca.” O irmão dele, João, 19 anos, viu em uma rede social um pessoal de Umuarama rifando carros antigos e falou para ele fazer o mesmo.

A rifa começou em fevereiro. No sábado de manhã, André tem ido com o Fusca à Praça São José, no centro da cidade, para vender os números, cada um por R$ 10. Amigos e parentes abraçaram a ideia e estão ajudando o casal a comercializar os números. Cerca de 30% da rifa foi vendida até agora.

A intenção do casal é usar 80% do dinheiro arrecadado com a “ação entre amigos” para fazer a festa de casamento e 20% comprar em materiais e doá-los a uma entidade assistencial da cidade.

Perto de finalizar a rifa, no dia 20 de abril, André confessa que a “saudade” do Fusca que ainda nem se foi já está “batendo”. “Carro antigo é um hobby e o Fusca é um marco do relacionamento com a Kérolen. O coração está apertado”, comentou.

Por outro lado, André acredita que o Fusca vai render bons novos episódios, porque compradores da rifa têm alguma história com Fusca ou gosta de carros antigos. “Uma mulher disse que quer dar de presente para o neto que é apaixonado por Fusca”, afirmou.

Os mais adeptos à vida moderna diriam que a instituição do casamento está em declínio. Mas não é o que mostra a estatística, pelo menos em Campo Mourão, onde foram registrados 564 casamentos ano passado e 515 em 2017.

De toda forma, André, que é psicólogo, diz que acredita no casamento como forma de fugir de padrões de comportamento individualistas e imediatistas muitos perceptíveis na atualidade. “A gente acredita em algo que parece desacreditado hoje em dia, o casamento”, comentou.

O casamento no cartório está marcado para agosto deste ano e na igreja, em março de 2010. Para Kérolen, o Fusca é um símbolo da união do casal. Caso o ganhador do veículo seja de Campo Mourão ou cidade da região, ela pensa em pedir o veículo emprestado para ir à igreja casar. “Seriam muito bom ir vestida de noiva no Fusca.”

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).