Fale Conosco

Política

Prefeituráveis para 2020 dizem que pesquisa mostra desejo de mudança

Rodrigo Salvadori, Nelson Tureck e Pedrinho Nespolo falaram sobre desempenho. Tauillo disse que “está preocupado em cuidar da cidade”

Publicado

em

O ex-secretário do Planejamento do Governo do Paraná, Rodrigo Salvadori (Progressistas), o ex-prefeito Nelson Tureck (Podemos) e o ex-vereador Pedrinho Nespolo (PSD) avaliaram de forma positiva o resultado da primeira pesquisa para prefeito de 2020 em Campo Mourão e acreditam que o levantamento aponta desejo de mudança na administração municipal.

Segundo Rodrigo Salvadori, que foi candidato a prefeito de Campo Mourão em 2016 e teve 18.656 votos (45,76%) , a pesquisa mostra que a lembrança de seu nome representa credibilidade e confiança da população.

“Bem diferente da campanha em 2016, quando era pouco conhecido. Hoje, depois de muito trabalho, sou mais reconhecido na cidade. As pessoas estão acreditando que estamos vindo para melhorar, fazer realmente diferente e não ficar na mesmice que infelizmente está dominando Campo Mourão”, diz.

Empresário e produtor rural, Rodrigo Salvadori não ocupa atualmente nenhum cargo público e diz ser contrário à reeleição. “Não sou político e não vou transformar minha vida em política. Sou contra político de profissão e à reeleição, mesmo se no futuro vir a ser prefeito”, afirmou.

O prefeito Tauillo Tezelli (Cidadania), que aparece com 23,5% da preferência dos eleitores ouvidos pela pesquisa realizada pelo Datavox Brasil/i44News, Rodrigo Salvadori, com 21,5% das intenções de votos, Tureck (13,5%) e Pedrinho (11,5%) são o quatro prefeituráveis mais bem colocados no cenário estimulado.
A  pesquisa, contratada pelo i44 News, foi realizada entre os dias 13 e 14 maio pelo Datavox Brasil em todas as regiões da cidade, incluindo o distrito de Piquirivaí. Foram ouvidos 400 eleitores e a margem de erro apresentada pelo instituto de pesquisa é de 4.9%. O nível de confiança da pesquisa é de 95% , assinada pelo estatístico responsável Diego Henrique Carvalho Camacho. 

Ex-prefeito de Campo Mourão por duas legislaturas, ex-prefeito de Luiziana e ex-deputado estadual, Nelson Tureck entende que a cidade acredita no trabalho que ele desenvolveu à frente da prefeitura entre 2005 e 2012 e isto foi determinante no resultado do levantamento. “Hoje, as pessoas ligam e perguntam se vou ser candidato. O tempo dirá e temos um ano pela frente, um grande projeto para Campo Mourão”, disse.

A candidatura mais recente de Tureck foi a deputado estadual ano passado, mas acabou impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Com a decisão, o ex-prefeito lançou a filha Karla Tureck (Podemos) para concorrer em seu lugar.

Para o ex-vereador Pedrinho Nespolo (2013-2016), os 11,5% de preferência dos eleitores apontados pela pesquisa são vistos com satisfação, ainda mais o empate técnico com Tureck que já foi prefeito duas vezes de Campo Mourão. “Fico grato com o resultado”, diz.

Sobre Tauillo, Pedrinho disse que o desempenho de 23,5% já era esperado e que o prefeito é o único possível candidato que ele descartaria uma coligação para 2020. “O momento é de focar em um plano de governo, os problemas da saúde, educação e infraestrutura para fazer mudanças.”

O levantamento foi realizado entre os dias 13 e 14 deste de maio em todas as regiões de Campo Mourão, incluindo o distrito de Piquirivaí. O Datavox Brasil ouviu 400 eleitores. A margem de erro da pesquisa é de 4.9%.

Prefeito agradece, mas está preocupado

Dos quatro primeiros colocados na pesquisa no cenário estimulado, apenas Tauillo não quis conceder entrevista ao i44News. Por meio da assessoria de imprensa , ele disse que agradecia o contato mas, “está preocupado em cuidar da cidade” e por isto não iria comentar o resultado da pesquisa.

Aos olhos dos eleitores ouvidos pela pesquisa, o município precisa mais cuidados na Saúde. O levantamento mostra que 43,5% dos entrevistados afirmaram que a área é o maior problema na cidade. Em seguida vêm geração de emprego, com 13,7%, e pavimentação e asfalto de ruas, avenidas e estradas rurais (9,2%).

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Jardim Paulista, foi inaugurada há 871 dias, mas até agora não fez nenhum atendimento e continua fechada. O prédio custou mais de R$ 3 milhões.

Enquanto isso, o Posto 24 Horas, no Jardim Lar Paraná, funciona em uma estrutura precária e pacientes reclamam do atendimento na unidade.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).