Fale Conosco

Saúde

Em Luiziana, cidade sem caso de dengue há mais de 3 anos, população dá exemplo

Por outro lado, Campo Mourão teve aumento de 38% nos casos de dengue em uma semana e chegam a 243

Publicado

em

As dezenas de vasos de plantas na casa de Dirce Ribeiro Pepinelli Munhoz, 59 anos, em Luiziana (a 30 km de Campo Mourão), seriam locais perfeitos para a multiplicação do mosquito Aedes aegypti não fosse o capricho dela com a limpeza e a consciência de responsabilidade social. A cidade não registra um caso de dengue desde fevereiro 2016. A situação é explicada pela Coordenação Municipal de Endemias como fruto da participação da população no combate ao mosquito.

Dos 399 municípios do Paraná, 152 não tem casos de dengue no atual período epidemiológico, iniciado em agosto do ano passado e que vai até julho de 2019, segundo o boletim epidemiológico desta semana da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde). Na área da 11ª RS (Regional de Saúde), que compreende Campo Mourão e 24 cidades, Altamira do Paraná e Juranda também não possuem registros da doença.

Dirce olha diariamente os vasos, retira a água de pratinhos, faz a limpeza e diz estar sempre atenta ao quintal, ao lixo. “Aqui o mosquito não tem vez”, disse a dona de casa.

Em Luiziana, cidade com 7,2 mil habitantes, segundo estimativa de 2018 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), três agentes de combate à dengue são responsáveis por cerca de 2,7 mil imóveis.

Segundo a coordenadora de Endemias, Roseli Cordeiro Ramos, o primeiro Liraa (Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti) do ano, em janeiro, apresentou índice de 5,7%, o segundo, em março, de 9,2%, e o terceiro, em maio, caiu para 1,3%.

O caso de dengue relatado em fevereiro de 2016 é importado e neste ano foram registradas 10 notificações de suspeitas, mas nenhuma confirmada. “Os agentes comunitários de saúde estão orientado diariamente a população, que tem se conscientizado sobre a importância dos quintais limpos”, disse Roseli.

Campo Mourão e região

O número de casos de dengue em Campo Mourão e região aumentou 28,3% em uma semana. O boletim epidemiológico Sesa mostra que os registros passaram de 571 para 733 na área a 11ª RS (Regional de Saúde).

Em Campo Mourão, de acordo com o relatório da Sesa, os casos somam 243 desde agosto do ano passado. Na semana passada eram 176, o que corresponde a uma elevação de 38%.

Os municípios com maior número de registros da doença na 11ª RS são Campo Morão, Moreira Sales (124), Peabiru (104), Terra Boa (46) e Goioerê (37). Campo Mourão está classificado como município em risco de epidemia. Há mais 28 cidades nessa situação no Estado, conforme a Sesa.

Paraná

A Sesa confirmou mais três casos de morte por dengue no Paraná, que foram registrados em Ibiporã, um homem de 85 anos; Londrina, uma mulher de 59 anos; e Foz do Iguaçu, um homem de 55 anos.

Segundo o informe semanal da Sesa, 20 óbitos foram registrados no Estado desde agosto do ano passado. São sete em Londrina, três em Cascavel, três em Loanda, dois em Foz do Iguaçu, dois em Maringá, dois em Ibiporã e um em Cafelândia.

O Estado tem 16.402 casos confirmados de dengue. São 1.006 a mais que na semana passada. São 72 municípios em epidemia, que apresentam incidência proporcional de 300 casos por 100 mil habitantes. Outras 63 cidades seguem em alerta de epidemia, quando a taxa de incidência é igual ou superior a 100 casos por 100 mil habitantes.

Os municípios com maior número de casos suspeitos notificados são Londrina (12.928), Foz do Iguaçu (7.711) e Maringá (4.624). As cidades com mais casos da doença confirmados são Foz do Iguaçu (1.345), Cascavel (1.060) e Londrina(1.054).

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).