Fale Conosco

Cidade

Energia limpa: ele roda 100 km por dia para fazer entrega de bicicleta em Campo Mourão

Daniel Silva entrega mercadorias e conceitos de sustentabilidade e mobilidade urbana

Publicado

em

Os papéis das entregas concluídas colados com fita adesiva no guidão da bicicleta de Daniel Felipe da Silva, 24 anos, são indicativos de que o primeiro serviço de “bike courier” em Campo Mourão está evoluindo. Por dia, o entregador percorre 100 quilômetros no trânsito da cidade.

O que move o serviço é a rapidez, com a agilidade da bicicleta no trânsito, e o apelo às chamadas entregas limpas , sustentáveis e mobilidade urbana.

Às 9h30 de quinta-feira (11), Daniel tinha perto de 20 papéis colados no guidão de entregas que fez a partir das 8h. Na quarta-feira (10), ele fez mais de 200. O expediente está puxado, das 8h às 22h. “É muito pedal”, afirmou Daniel.

O entregador é um “bike lover”, com discurso na ponta da língua de contribuir com a construção de uma cidade mais limpa e sustentável. Ele diz que a maioria dos clientes é conquistada com a questão ambiental a rapidez do serviço, já que o preço é equiparável ao serviço de motocicleta. Entrega no centro da cidade custa R$ 5 e nos bairros, R$ 8. “Temos hoje um grande problema de estacionamento na região central e conseguimos agilidade porque a bicicleta pode ser colocada em qualquer lugar. Mas a parte mais interessante disso tudo é a ecologia de mercado”, disse Daniel.

Sócia-proprietária de uma loja de roupas no centro de Campo Mourão, Angelita Brasil de Freitas decidiu encostar o carro do estabelecimento e contratar um serviço de entrega de bicicleta. Os motivos foram a agilidade e a redução da emissão de carbono com uso de energia limpa. “Dessa forma conseguimos contribuir com o meio ambiente”, afirmou.

A empresária usava o carro da loja e funcionários para fazer as entregas de mercadorias. “Os colaboradores ficam mais livres hoje para fazer o principal, que é vender, atender os clientes”, disse Angelita.

Segundo Daniel, a empresa atende lojas, farmácias e supermercados. É a única na cidade que com esse tipo de serviço. As bicicletas dele e de Ruany dos Santos, 26 anos, rodam a cidade com caixas acopladas na parte traseira, na maioria das vezes, com alimentos, medicamentos, roupas e documentos.

Ruany trabalhava no comércio e foi atraída pelo conceito de energia limpa, sustentabilidade e a oportunidade de executar um serviço com bicicleta. “Me chamou bastante a atenção e estou gostando do que estou fazendo”, diz a entregadora.

O apreço às empresas de entregas de bicicleta tem aumentado. Em março deste ano, a ganhadora do prêmio internacional Clean Energy Challenge, que tem a chancela do secretariado para mudanças climáticas da ONU (Organização das Nações Unidas) foi uma satartup sediada em São Paulo.

Para Daniel, dividir as ruas com motocicletas, automóveis e caminhões é o maior desafio. Ele não fala em acidentes, mas diz que o pior comportamento do motorista e não ligar a seta para indicar uma conversão. “No trânsito, a gente procura respeita e também espera o máximo de respeito dos motoristas. Mas alguns não ligam a seta, não avisam o que vão fazer”, disse.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).