Fale Conosco

Educação

“Estou muito triste”, diz idosa de 81 anos que parou estudar após Secretaria de Educação fechar sala da EJA

Sala foi fechada por número insuficiente de alunos, segundo a secretaria

Publicado

em

Os cadernos e os livros da primeira etapa da EJA (Educação para Jovens e Adultos) do enino fundamental, equivalente ao 1º e 5º ano do ensino regular, são lembranças da escola desde o mês passado para a aposentada Lindaura Angélica de Souza, 81 anos, que abandonou os estudos pela segunda vez na vida. A sala de aula onde a idosa estava matriculada foi fechada pela Secretaria Municipal de Educação por conta do reduzido número de alunos.

A sala do EJA funcionava no período da noite na Escola Municipal Mário de Miranda Quintana, que fica a três quadras da casa de Lindaura, no Jardim Conrado, em Campo Mourão, o que lhe possibilitava ir a pé.

“Estou muito triste que a sala fechou. Fiquei nervosa e nem dormi à noite quando a diretora avisou a gente”, disse Lindaura.

Para continuar a estudar, a idosa teria que ir à Escola Municipal Cidade Nova, no Jardim Cidade Nova, a 3 quilômetros de sua residência. A prefeitura não oferta transporte escolar à noite para o trajeto. “Não dá para ir nessa escola porque é longe e não tem ônibus”, afirmou.

Na infância, Lindaura deixou de estudar porque morava em uma fazenda em Brumado, no centro-sul da Bahia, a 6 cerca de quilômetros da escola na cidade. “Fui por um tempo. Não dava para ir porque era muito longe”, diz.

A idosa, que já foi trabalhadora rural e empregada doméstica, diz que sente falta da escola, dos colegas de sala e de manter a cabeça em atividade. Ela resolveu voltar a estudar depois dos 80 anos para a aprender a ler e escrever. “É muito ruim a gente não saber ler e ir viajar, fazer uma compram. Agora estou lendo os livros e estudando a tabuada em casa”, disse.

Lindaura era a aluna da EJA em Campo Mourão com a idade mais avançada. Em três escolas municipais estão 85 estudantes e 80% são idosos. Também há salas de aulas em três instituições estaduais, com mais 775 alunos, com a segunda etapa (6º ao 9º ano do ensino fundamental) e ensino médio.

Segundo a coordenadora da Divisão de Educação de Jovens, Adultos e Idosos da Secretaria Municipal de Educação, Carla Poma, as atividades da EJA na Escola Mário de Miranda Quintana foram suspensas porque a sala tinha apenas seis alunos, número que torna inviável financeiramente e administrativamente a manutenção pelo município.

A coordenadora disse que três alunos começaram a estudar no Ceebja (Centro Estadual de Educação Básica para Jovem e Adulto) e dois nas escolas municipais Professor Florestan Fernandes e Professor Eroni Manoel Ribas.

Segundo Carla, a sala de aula da EJA precisa de, no mínimo, 15 alunos e que a suspensão na Escola Mário de Miranda Quintana é temporária porque serão feitos chamamentos neste ano para matrículas e contratação de professor para reabrir a turma em 2020.

A Secretaria de Educação tem buscado alunos para as salas da EJA em visitas a bairros, igrejas, cooperativas e empresas para reduzir o índice de analfabetismo do município, que é de 7,31%%, segundo O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) – a média nacional é de 9,37%.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).