Fale Conosco

Esportes

Garoto de Campo Mourão vai disputar mundial de kart na França

Samuel Cruz, 14 anos, exibe vários troféus que conquistou em competições

Publicado

em

A brincadeira no kartódromo de Campo Mourão virou coisa séria. A fórmula esforço da família e empenho nas pistas tem rendido pódios, troféus e medalhas a Samuel Cruz. Com a conquista do Campeonato Brasileiro de Kart em Cascavel (PR), na categoria Codasur junior, o piloto de 14 anos vai disputar, em outubro deste ano, o mundial da categoria em Le Mans, na França.

No quarto de casa, no Jardim Araucária, em Campo Mourão, Samuel quase já não tem mais espaço para guardar os troféus que ganhou em corridas no Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Santa Catarina.

Ele começou a correr de kart aos 11 anos e a competir em 2018. Foi convidado por amigos do pai a ir ao kartódromo da cidade e o que era apenas diversão de fim de semana acabou se transformando em disputas. “A gente andava só para brincar. Agora já estou correndo, competindo, no Paraná, em outros Estados e vou para a França. Estou muito feliz”, disse Samuel.

No brasileiro de kart, mês passado, Samuel ficou em primeiro na categoria Codasur junior, numa disputa com 25 pilotos, e em terceiro na junior, com presença de 20 competidores. No Campeonato Sul-Americano, em junho, em Nova Santa Rita, na região metropolitana de Porto Alegre (RS), competiu com 25 pilotos e ficou em quinto. “Na pré-final estava em quarto, mas o escapamento quebrou e tive que abandonar. Na final larguei em vigésimo”, disse o piloto sobre o desempenho no Sul-Americano.

Samuel treina no kartódromo em Campo Mourão e também em um simulador na sala de casa. Com 3 anos no kart, o garoto tem até um calo nas costas, por conta do contato com o banco, que é símbolo de seu esforço nas pistas. “O banco fica batendo. Sinal que é pesado, não é fácil”, afirmou.

Para melhorar o preparo físico, Samuel faz academia, principalmente para reforçar a musculatura dos braços e pescoço. A mãe Francieli Marchese, 36 naos, diz que o esgotamento ao final de cada corrida é visível. “O que começou como brincadeira virou uma competição. É muito bom competir, participar de campeonato. É o que me atraiu par ao kart”, disse Samuel.

Mas o esforço não é só do adolescente dentro e fora das pistas. É do pai, o autônomo Márcio Fernando da Cruz, 41 anos, da mãe, do avô Luiz Carlos da Cruz, 62, e da irmã Isabely, 16, que também está no kart e disputou o campeonato brasileiro em Cascavel. “Meu pai e minha mãe sempre vão às corridas. Meu avô quando consegue e minha irmã também vão. É muito importante para mim”, diz.

O apoio não é restrito à torcida. É um esporte caro, a exemplo de outras modalidades do automobilismo. Samuel tem um patrocinador e a família busca outros para bancar ajudar a bancar as competições.

Segundo o pai do piloto, a participação de Samuel no brasileiro custou cerca de R$ 20 mil, entre despesas com viagem, alimentação, hospedagem, treinos na pista, peças do kart e equipe de mecânicos. Para disputar o mundial em Le Mans, a família calcula gasto de R$ 20 mil.

O sonho do adolescente também é o da família, que investe tempo e dinheiro para ele competir em várias regiões do país e, agora, no exterior. “Quero chegar na Fórmula 1, mas quem manda é o dinheiro. Também quero a Stock Kar”, diz Samuel.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).