Fale Conosco

Cidade

Severino, aos 76 anos, ganhou o primeiro celular e foi aprender a usar em um curso de inclusão digital

Curso para mexer em smatphones voltado a pessoas com mais de 50 anos teve 60 inscritos em Campo Mourão

Publicado

em

Perto de completar 77 anos, no próximo mês, o aposentado Severino Alves de Lima ganhou o primeiro celular nesta semana, um presente do filho. O aparelho, para ele, parece mais uma caixa-preta envolta em mistérios. Para aprender, ele se inscreveu em um curso que ensina pessoas com mais de 50 a mexer em smatphones, que em Campo Mourão teve 60 inscritos e começou na segunda-feira (19) e termina nesta quinta-feira (22).

Severino tinha aprendido em casa a ligar e desligar o telefone e a desbloquear pelo padrão de tela.

“Está travado até hoje. Está tudo escuro. Queria ver ele claro, falando comigo, disse o aposentado sobre o novo presente.

O aparelho que agora carrega no bolso é ainda um completo desconhecido. O fato de não saber usar o telefone é encarado com bom humor pelo aposentado, no estilo “ria da vida, ria dos problemas e ria de você mesmo”. “Não sei se ele morde, corre ou chora”, disse Severino sobre o novo presente.

Caminhoneiro por 40 anos, ele diz que sabe “ler e escrever bem pouco”. O aprendizado foi adquirido com a leitura das placas nas estradas. O novo desafio é o aparelhinho que ele vê outras pessoas mexendo. “Eu vim aprender porque nunca mexi com celular. Vejo o pessoal usar. Vou ver se aprendo no curso”, afirmou.

Em um clube da cidade que frequenta, Severino acompanha os amigos se divertindo nas redes sociais, com mensagens de texto e voz, vídeos e fotos. “Eles ficam mexendo no celular e eu fico só vendo. Agora vou aprender.”

De acordo com o assessor da Celepar (Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná), Edson Praczyk, o curso de inclusão digital com foco em smartphones é ministrado no Estado há 6 anos. Em Campo Mourão atingiu o número máximo de alunos, que é 60, a maioria mulheres.

Nos 3 dias do curso que está sendo realizado no Ceju (Centro da Juventude), com carga horário de 9h, eles aprendem desde ligar o celular até operar aplicativos. “Os maiores interesses, sem dúvida, são pelo WhatsApp e Facebook”, diz Edson.

A aposentada Helena Campos, 64 anos, inscreveu-se no curso para aprender a usar o aplicativo de mensagens e conversar com as irmãs que moram em Porto Velho (RO) e Jussara, no noroeste do Paraná. “Quero usar a internet e me comunicar com elas”, disse.

O marido de Helena já usa aplicativo de mensagem, mas disse para ela aprender coisas novas no curso e ensiná-lo. O telefone que ela usa tem apenas serviços de mensagem de texto (SMS) e voz. “Nunca tive uma orientação, talvez não seja tão difícil aprender. Quero um telefone mais moderno, mas não precisa ser de última geração.”

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).