Fale Conosco

Polícia

Operação nacional ‘Open Doors’ contra hackers apreende R$ 38 mil e 3 veículos em Campo Mourão

Em Curitiba foi preso um hacker e apreendidos R$ 600 mil em dinheiro e dois veículos

Publicado

em

O MP-PR (Ministério Público do Paraná), por meio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), apreendeu nesta quinta-feira (12), em Campo Mourão, três veículos, cerca de R$ 38 mil, cartões bancários e equipamentos eletrônicos no âmbito da “Operação Open Doors”, que investiga hackers que praticavam crimes patrimoniais, como a subtração de valores de contas bancárias em transações fraudulentas em sites falsos.

Em Curitiba, um hacker foi preso, considerado um dos líderes da organização criminosa, e dois veículos e R$ 600 mil em dinheiro foram apreendidos em uma cobertura de luxo.

No Paraná, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão em Curitiba, dois em Campo Mourão e um em Ponta Grossa.

Segundo o promotor Leonir Batisti, coordenador-geral do Gaeco, em Campo Mourão as apreensões ocorreram nas ruas Pitanga e Juscelino Kubitschek, no Jardim Corinthians.

Batisti diz que a partir da perícia de equipamentos eletrônicos usados para comunicação e fraudes bancárias apreendidos em Campo Mourão e Curitiba e de outros materiais em Ponta Grossa deverão ser apontados nomes de mais hackers envolvidos em crimes contra o patrimônio. “As investigações estão concentradas no Rio de Janeiro”, disse.

A “Open Doors” faz parte de uma ação nacional contra a corrupção e lavagem de dinheiro deflagrada nesta quinta-feira (11) no Paraná, Rio de Janeiro, Bahia, Amazonas, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Sergipe e São Paulo.

Esta é a quinta fase da operação, com 22 mandados de prisão expedidos pela Justiça de Barra Mansa, no Rio. Os pressos e materiais apreendidos serão levados para a delegacia do município.

A operação teve início em 2017 para combater uma quadrilha que, segundo as investigações, fez vítimas em pelo menos sete Estado e, entre 2016 e 2018, desviou mais de R$ 150 milhões de contas bancárias.

As ações são promovidas pelas unidades do Gaeco e articuladas pelo GNCOC (Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas). Os mandados foram expedidos pela Justiça de Barra Mansa, no Rio.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).