Fale Conosco

Agro

Atrasado, plantio de soja chega a 45% em Campo Mourão e região que têm a maior área com a cultura no PR

Falta de chuva tem atrapalhado produtores rurais

Publicado

em

Depois de 1 mês do encerramento do vazio sanitário e liberação para o plantio, a semeadura da soja atingiu 45% em Campo Mourão e região nesta semana e está atrasada por conta da pouca chuva. Em condições normais, o trabalho teria avançado mais 70%, segundo o núcleo local da Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e dos Abastecimento).

Campo Mourão e 24 municípios da região têm a maior área estimada de soja para a safra 2019/20, de 683.500 hectares, conforme dados do Deral (Departamento de Economia Rural), da Seab. Na sequência vêm Ponta Grossa, com 571.650 hectares, e Cascavel (532 mil hectares).

De acordo com o Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná), em setembro foi registrado 52,8 milímetros de chuva em Campo Mourão e região. A média histórica para o mês é de de 89,9 mm.

Em outubro, com média histórica de 202,2 mm. houve acúmulo de 22,2 mm. Foram 4,4 mm no dia 3; 14,6 mm no dia 6; e mais 3,2 mm no dia 7.

Conforme com Luiz José Coelho, técnico do Deral em Campo Mourão, o plantio na região começou efetivamente em outubro – foi liberado no dia 11 de setembro. A plantio acelerado da oleoginosa permite uma semeadura precoce da segunda safra de milho. “Mas a dificuldade é que o plantio da soja na região está sendo atrapalhado pela pouca chuva”, disse Coelho.

A estimativa do Deral para a produção de soja na safra 2019/20 na região é 2,460 milhões de hectares. No ciclo 2018/19, a conta foi de 1,904 milhão de toneladas em uma área de 680 mil hectares.

Paraná

O plantio de soja no Paraná atingiu 22% da área prevista nesta semana ante 38% em igual período do ano passado, conforme o Deral.

A oleoginosa cobre 91% da área plantada no Estado e 82% da produção total de grãos de verão. Dos 6 milhões de hectares, 5,5 milhões são para cultura. No ano passado, a seca reduziu a produção de soja em 3 milhões de toneladas.

Brasil

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar 2019 em 240,7 milhões de toneladas, o que representa aumento de 6,3% em relação ao ano passado.

Conforme o IBGE, um dos produtos que deverão puxar essa alta é o milho, uma das três principais lavouras de grãos do país, cuja produção deve crescer 23,1% de 2018 para 2019. Outros grãos que deverão ter alta neste ano são o algodão herbáceo (39%), o feijão (2,9%), o sorgo (14,6%) e o trigo (3,1%).

Por outro lado, duas das principais lavouras devem fechar o ano em queda: soja (-4,3%) e arroz (-12%).

A área colhida de cereais, leguminosas e oleaginosas foi estimada em 63,1 milhões de hectares, 3,5% a mais do que em 2018.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).