Fale Conosco

Educação

Eles são aluno e professora com persistência e superação

Murilo, com síndrome de down, e a professora Adiana, têm histórias inspiradoras

Publicado

em

A relação professor-aluno determina interferências positiva ou negativa nos processos de ensino e aprendizagem, dizem especialista em educação. A teoria brilha nas experiências de um aluno com síndrome de down e uma professora, em uma conexão com superdoses de persistência, superação, carinho e respeito. Uma comunicação com amor que transforma vidas.

No campinho de futebol da Faculdade Unicampo, na manhã desta quinta-feira (21), Murilo Rafael Santana Pereira, 20 anos, era entrevistado pela reportagem sobre a gincana e feira de profissões organizada pela instituição para estudantes de cinco colégios estaduais, enquanto a professora Adiana Martorelli Moreira filmava com o celular com os olhos brilhantes.

Aluno do terceiro ano do ensino médio no Colégio Estadual Doutor Osvaldo Cruz, no Jardim Laura, Murilo aprende Matemática com Adiana desde a sexta série do fundamental. Ele tem professora como ídolo. “Sou menino bom, bom aluno e tenho uma professora, a Adriana, que sou fã dela”, disse.

Segundo Adriana, o rapaz é participativo e sempre está disposto em atender que o lhe é proposto. Na gincana, Murilo participou de todas as provas, já que as duas melhores escolas recebem prêmios da faculdade. “Dentro das dificuldades, ele acompanha, vai às aulas todos os dias e sempre está pronto para participar”, afirmou Adriana.

O jovem trabalha de empacotador em um supermercado, toca violão e na gincana se empenhou em ajudar a escola a vencer as provas. Também faz parte da mesma igreja de Adiana, onde ela é ministra da eucaristia e ele acólito – ajuda o padre em ações litúrgicas, nas missas. “Ele é um exemplo que é possível ter uma vida normal. A família dele também ajuda muito”, diz a professora.

Como o dia também foi de ouvir orientações sobre cursos de graduação na feira de profissões da faculdade, Murilo disse que seu sonho é concluir o ensino médio e fazer Engenharia Agronômica. “Gosto muito de mexer na terra, de plantas, cuidar. Tem que estudar e ser esforçar bastante”, disse Murilo.

Para a professora, a graduação de Murilo no ensino superior vai ser uma honra para ela e o “colégio inteiro”. “Ele tem bom relacionamento com professores e alunos.” O orgulho entre professora e aluno é mútuo. “Gosto muito dele e ele de mim”, afirmou Adriana. “Ela é muito boa professora”, diz o jovem.

Evento

A gincana, com brincadeiras como chute ao gol, cabo de guerra, arremesso à cesta e quiz sobre Olimpíada e Copa do Mundo, e a feira de profissões na Unicampo tiveram participação de 180 alunos de colégios estaduais de Campo Mourão.

O campeão da gincana foi o Colégio Estadual Marechal Rondon, que vai receber uma tevê de 50 polegadas, dois costelões e 30% de desconto na mensalidade para os alunos no primeiro e segundo anos na graduação e 20% a partir do terceiro. O segundo foi o Colégio Estadual Professor Darcy José Costa e os prêmios são uma impressora, costelão e 20% de desconto na mensalidade. A premiação ocorre na noite desta quinta-feira (21) durante o Festival Cultural da Unicampo.

Segundo o professor Frank Duarte, as propostas dos eventos são a confraternização de estudantes, a participação nas competições de forma harmoniosa, informações sobre os 10 cursos de graduação e o conhecimento da estrutura da instituição. “É uma forma de trazer a comunidade para dentro da faculdade”, disse.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).