Fale Conosco

Economia

No mês dos saldões, a estratégia dos consumidores para economizar é pechinchar

Pesquisa mostra que 81% dos brasileiros têm costume de pechinchar na hora de fazer compra

Publicado

em

As promoções, produtos mais baratos, estão estampadas em cartazes no começo do ano nas lojas, quando o comércio varejista costuma fazer queimas de estoque. E a pechincha, o jeito brasileiro para economizar e enfrentar a dificuldades econômicas, fica mais evidente nessa época.

Uma pesquisa feita pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) aponta que 81% dos consumidores costumam pechinchar na hora de fazer compras e 80% pesquisam as características técnicas de produtos mais caros antes de adquiri-los.

“Peço desconto para pagamento à vista, vou lá converso com o gerente. Tem que pedir sempre o preço menor”, diz a administradora Fabiana Perdonense, 36 anos.

Pechinchar para Fabiana é obter economia, ainda mais no início no ano por conta de pagamento de impostos e o material escolar das crianças. “Não é vergonha pechinchar. Tem que procurar o preço menor. O difícil é ficar devendo”, disse.

A vendedora Natália Moura Jandre, 21 anos, afirma que vale muito o atendimento na loja para comprar algo, mas os descontos na negociação na hora são definitivos. Por ser vendedora sei que quando a pessoa não pede desconto não recebe e quando pede compra mais barato”, diz.

A pesquisa da CNI mostra que entre os mais jovens (16 a 24 anos), o hábito de pechinchar é menor e chega a 73% e o grupo de consumidores com renda familiar superior a cinco salários-mínimos, a 70%. “Quando vejo o preço da etiqueta e vejo que posso levar e compro. Não peço desconto”, disse o comerciante Edson Ricardo Martins, 34 anos.

Segundo a pequisa, 71% dos consumidores esperam promoções e saldões no começo do ano para fazer a adquisição de produtos de maior valor, como eletrodomésticos, móveis, celulares, eletrônicos e automóveis.

Dívidas

De acordo com pesquisa CNC (Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo) e Fecomércio-PR (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná), 90,88% das famílias paranaenses estão endividadas.

A média geral de endividados no ano passado ficou em 90,42%, o que representa aumento de 1,5 ponto percentual em relação a 2018, quando a média de endividamento foi de 88,92%.
A pesquisa mostra que houve aumento da parcela de endividados que afirmavam que não conseguiriam pagar seus débitos, que passou de 10,82% em novembro para 11,87% em dezembro. Em janeiro de 2019, 11,17% dos paranaenses reconheciam não ter condições de pagar suas dívidas nos próximos meses.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).