Fale Conosco

Cidade

Prefeitura de Iretama fecha nesta sexta-feira para que servidores integrem força-tarefa contra o Aedes

Cidade na região de Campo Mourão tem 124 casos da doença confirmados

Publicado

em

A epidemia de dengue levou a prefeitura de Iretama (a 50 km de Campo Mourão) a publicar dois decretos com ações de combate à doença. Um declara situação de emergência e outro a interrupção dos serviços paço municipal nesta sexta-feira (14) para que servidores possam encorpar um mutirão de limpeza em residências, estabelecimentos comerciais terrenos vazios.

Um dos decretos assinados pelo prefeito Wilson Bratac (PP) considera que é necessária situação de emergência para tomada de ações pelo governo municipal e mobilização da população para conter a infestação do mosquito Aedes aegypti.

O outro decreto suspende as atividades normais dos servidores públicos municipais nesta sexta-feira, que foram convocados a um dia de trabalho em uma força-tarefa de combate ao Aedes.

O boletim desta semana da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) aponta que Iretama tem 124 casos de dengue confirmados desde agosto do ano passado. O município tem 10,6 mil habitantes, segundo estimativa de 2019 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Segundo o coordenador-geral da prefeitura, Ricardo José de Almeida Junior, a expectativa é que 300 dos 440 servidores integrem a força-tarefa para limpeza urbana. O ponto de partida é o salão paroquial da igreja matriz, no centro da cidade, às 7h30. “Cada equipe vai ter um agente comunitário de saúde para cobri toda a cidade”, disse.

O coordenador afirma que apenas funcionários em serviços de emergência na área da saúde, da licitação e de máquinas que estão realizando obras continuarão suas atividade normais na sexta-feira.

Conforme a Sesa, Iretama é a sétima cidade na Comcam (Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão) com mais casos de dengue. A primeira é Quinta do Sol, com 610 confirmações.

Em Campo Mourão e 24 municípios, desde agosto de 2019, foram confirmados 3.190 casos da doença, o que representa 15,5% do total no Paraná. A 11ª Regional de Saúde é a terceira em número de registros. A primeira é Paranavaí (5.945), seguida de Maringá (4.191).

Quatro pessoas já morreram vítimas da dengue na região, uma em Peabiru e três sem Nova Cantu. Um óbito de um homem de 66 anos em Barbosa Ferraz está sob investigação.

Dos 399 municípios do Estado, 103 foram classificados até o momento pela Sesa em situação de risco de epidemia; 160 em alerta; e 114 em situação satisfatória para o IPP (Índice de Infestação Predial). O cidade maior índice de infestação predial do Aedes aegypti é Terra Boa, com 14,80% IPP por 100 mil habitantes.

Comente

Comentários

Copyright®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).