Fale Conosco

Solidariedade

Entidades de Campo Mourão fazem campanha para receber contribuições pelo Imposto de Renda

Podem contribuir pessoas físicas que têm imposto a pagar e valor a ser restituído

Publicado

em

Dez entidades que atendem crianças e idosos em Campo Mourão estão em campanha para contribuições por meio do Imposto de Renda. O esforço é para que o volume de arrecadação em 2020 não seja afetado pela crise na saúde provocada pela pandemia de coronavírus.   

A expectativa do Fórum das Entidades Socioassistenciais de Campo Mourão é receber cerca de R$ 1 milhão neste ano. Em 2018, foram R$ 788.306 e, em 2018, R$ 473,6 mil.

Nesta segunda fase, o contribuinte (pessoa física) pode destinar 3% do valor devido para o FMDCA (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) e o mesmo índice para o FMI (Fundo Municipal do Idoso).

Para contribuir é preciso imprimir o Darf ((Documento de Arrecadação de Receitas Federais) para pagamento na própria declaração de ajuste. Quem tem imposto retido na fonte com valor a ser restituído terá o valor devolvido pela Receita e quem precisa pagar destinará quantia menor ao Leão ao destinar a quantia às entidades. Com a crise, as entidades e as pessoas assistidas por elas, vão precisar de mais ajuda”, afirmou Silvia Andreia da Rocha, coordenadora da campanha de arrecadação do Imposto de Renda do Fórum das Entidades Socioassistenciais

Segundo a coordenadora, o município tem capacidade de arrecadação de R$ 3 milhões. “O contribuinte pode acompanhar de perto para onde vai o seu dinheiro por meio dos projetos sociais realizados pelas 10 entidades”, disse,

A entidades habilitadas do FDMCA são o Lar Miriã, AACM (Associação Amigos do Autista de Campo Mourão), A Mão Cooperadora, Lar Dom Bosco, Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), Associação Dojo.com, Associação Sou Arte, Cedus (Centro de Educação Santa Rita), CTR (Comunidade Terapêutica Redenção) e AACM (Associação dos Amigos do Autista de Campo Mourão). E pelo FMI, o Lar dos Velhinhos Frederico Ozanam.

Declaração

Na quarta-feira (1º), a Receita Federal anunciou que o prazo para a entrega do IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) foi prorrogado por 60 dias. Os contribuintes podem entregar o acerto anual até o dia 30 de junho.

Continuam obrigados a declarar os contribuintes que, em 2019, receberam rendimentos tributários superiores a R$ 28.559,70 reais, entre outras exigências. Caso tenha pago mais imposto do que o devido ao Fisco no ano passado, receberá a restituição ou, se esse não for o caso, o declarante estará sujeito à mordida e terá de pagar imposto.

Comente

Comentários

Copyright ®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).