Fale Conosco

Cidade

Para construir parque no Jardim Modelo, prefeitura de Campo Mourão teve que despejar família

Cinco dias depois do despejo da família que estava irregular na área, políticos participaram de cerimônia

Publicado

em

Com anúncio pomposo pela prefeitura de Campo Mourão, a construção do Parque Jardim Modelo tem como pano de fundo um drama familiar. Mãe, filha e três crianças foram despejadas de uma casa simples de madeira no terreno para o terreno dr lugar às obra do espaço público.

A diarista Maria Olinda Ribas Camargo, 54 anos, morava na casa com a filha de 23 anos e as três netas de 2, 5 e 9 anos. Ela recebeu a notícia do cumprimento do despejo da prefeitura quando estava em Goiás, onde estava para ajudar a filha doente, e teve que retornar às pressas. “Foi triste. Cuidar da filha doente e receber um telefonema e saber que seria despejada”, disse |

Cinco dias depois do despejo, uma cerimônia com a presença de políticos marcou a ordem de serviço para o início das obras do parque

Maria estava em situação irregular porque o terreno pertence à prefeitura. No dia 9 de maio, retirou os móveis e foi para uma casa na Rua Francisco Preisner, no Jardim Batel, alugada pela administração municipal. “Foi terrível ver a máquina da prefeitura destruir a casa. Foi muita covardia”, afirmou. “Eu adorava lá porque tinha espaço para brincar”, disse a neta mais velha, que filmou com o celular a derruba da casa de madeira durante a noite.

Segundo Maria, ela se mudou há 20 anos para o terreno. A mulher diz que o ex-marido trabalhava no DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná) e disse que o imóvel seria dela quando se separaram. Mas a casa foi ao chão por uma máquina da prefeitura. “Puxamos a mudança na correria”, disse.

A casa prometida à família de cinco pessoas está sendo construída pela prefeitura na Rua Pedro Guilherme Cavalli, de 40 metros quadrados, com quarto, sala e banheiro, fica a três quadras do terreno onde será instalado o Parque Jardim Modelo.

Por meio da assessoria de imprensa, a prefeitura informou que a mulher estava em uma propriedade do município, que foi realocada para uma casa alugada, uma residência está sendo construída para ela e que, até então, sabia-se que a diarista morava sozinha e que, por estas razões, a administração “fez mais até que o necessário e não deixou a “mulher desamparada”.

Parque

A cerimônia da assinatura da ordem de serviço para a construção do Parque Jardim Modelo foi realizada pela prefeitura no dia 14 de maio, cinco dias depois do despejo da família.

Participaram o evento o prefeito Tauillo Tezelli (Cidadania), o secretário de Estado do Desenvolvimento e Turismo, Márcio Nunes, o deputado estadual Douglas Fabrício (Cidadania), sete vereadores e, segundo comunicação da prefeitura, “várias lideranças da cidade e da comunidade”.

De acordo com a prefeitura, a construção vai custar R$ 2,3 milhões e o dinheiro foi liberado pelo governo do Estado. A primeira etapa constituída por pista de caminhada, campo de futebol suíço, arena multiuso, pórtico de acesso, área de descanso com banheiro e área de serviço, academia ao lar livre e paisagismo e iluminação parciais.

A placa da obra no terreno mostra que o prazo para a enrega do parque na Rua Alcides Hauagge, no Jardim Modelo, é de 120 dias. Nesta segunda-feira (1º), no período da manhã, não havia ninguém batalhando no local e nem na casa que está sendo construída para a família de Maria.

Comente

Comentários

Copyright ®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).