Fale Conosco

Cidade

Com chuva, Vila Guarujá se transforma em atoleiro e moradores passam por transtornos

Mais um ônibus do transporte coletivo ficou atolado em rua do bairro nesta sexta-feira

Publicado

em

Um ônibus do transporte coletivo atolou a Rua 2, da Vila Guarujá, na periferia de Campo Mourão, às 7h30 desta sexta-feira (5). É o terceiro em 15 dias. Moradores ficaram sem poder ir para o trabalho. A dificuldade para transitar pelas ruas de terra do bairro, que está em morosa obra de infraestrutura há 5 meses, é para pedestres, bicicleta, carro, moto. Somente de trator para não passar perrengue.

O ônibus da empresa Viação Mourense que atolou na Rua 2, principal via de embarque e desembarque de passareiros no bairro, ficou 2h preso no local.

Cerca de 15 passageiros tiveram que deixar o veículo que foi puxado por um trator de uma fazenda na região. “A prefeitura não quer nem saber. Não manda ninguém para ajudar”, afirmou um funcionário da empresa que não quis se identificar.

Morador e dono de um depósito de materiais recicláveis na Rua 2 há 10 anos, Valdemir de Souza, 50 anos, diz que a dificuldade em transitar é imensa quando chove. “Já deveriam ter colocado cascalho aqui. A obra, faz um pouco um dia e fica sem nada por vários dias. É muito sofrimento”, disse.

Também na Rua 2, a propagandista Karine Josiele de Souza, 24 anos, perdeu o dia de trabalho nesta sexta-feira porque o ônibus que a levaria para o trabalho atolou. Ela é diarista e ficou sem o rendimento.

Com a pandemia do novo coronavírus, a empresa reduziu os horários dos ônibus e domingo não tem. Os ônibus circulam de segunda a sexta-feira, das 6h às 10h; 11h às 15h; e das 16h às 19h. No sábado, das 6h às 10h e das 11 às 14h.

Karine diz que nem mesmo lanche ou gás de cozinha é possível pedir no bairro por causa da lama porque os estabelecimentos não entregam. “O entregadores não querem vir aqui com medo de atolar”, afirmou.

O contador da Viação Mourãoense, Claudemir Antonio Jacinto, disse que a empresa pediu ajuda à prefeitura para desatolar o ônibus nesta sexta-feira, mas “infelizmente foi necessário recorrer a um fazendeiro para fazer o trabalho” com um trator porque não houve resposta positiva da administração municipal e também informou as condições da via.

Em janeiro deste ano, a prefeitura de Campo Mourão inciou a construção da galeria de águas pluviais na Vila Guarujá. Na entrada do bairro, na Rua 5, há centenas de tubos de concreto em um terreno baldio. Nesta sexta-feira, a obra estava parada.

A prefeitura não informou em qual estágio a obra está e nem se a situação na Rua 2 e outras vias do bairro será melhorada de forma temporária com cascalhamento. Informou apenas que o prazo das obras é de 8 meses, mas que devem ser concluídas até o final do ano.

Comente

Comentários

Copyright ®i44 News. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do i44 News (redacao@i44.com.br).